Familia Staszewski

Familia Staszewski
Boyd, Conceicao e Zachary

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Sindrome do Panico parte II- como aprendi a lidar com a situação



Nem sempre o que nos acontece se configura em algo terrível, como disse anteriormente os sintomas do sindrome de pânico são demasiado difíceis. Quando cheguei ao médico que ele falou que os sintomas eram de sindrome do pânico não acreditei, por que sabia que essas coisas aconteciam no meio artítistico e para mim era frescura, eu não acreditei e falei para ele estava tendo era problemas cardíacos, ele disse para mim não me preocupar, pois eu tinha sindrome de pânico e precisava falar com um especialista, aconselhou-me ir a um Psiquiatra, eu perguntei se estava ficando louca, demorei muito tempo para compreender o que era isso sentia varias vezes e não podia ficar sozinha, até que então criei coragem e fui procurar o medico, depois de uma grande crise em um ônibus, foi terrível o ónibus lotado muitas pessoas falando ao mesmo tempo o radio do ônibus ligado eu comecei a sentir mal, comei a ficar sem ar, ate que uma pessoa viu e deu seu assento no ônibus para mim, foi terrível, eu segurava a mão da pessoa que estava ao meu lado pedindo que ela não me deixasse sozinha por que eu ia morrer ali mesmo, ela me acalmava e conversava comigo, eu pedia não para de falar comigo por favor preciso saber que estou viva. Liguei para um amigo que foi me pegar em um local, eu chorava descontrolada mente ele me acalmava mas eu estava muito alterada, e pensava vou morrer. No outro dia ele me levou ao medico, uma famosa medica em Manaus que muitas pessoas me recomendaram, ela atendeu-me prontamente e garantiu-me que eu não ia morrer compreendia me sofrimento mas isso não matava eu precisava aprender a controlar minhas tensões, junto ao tratamento ela recomendou acumputura e massagens e assim eu fiz, durante 3 meses eu fazia todas semana uma sessão de acumputura e massagens e psicoterapia, para mim foi otimo, passei a estudar sobre o sindrome do pânico descobri que não é algo recente e que muitas pessoas paralisaram suas vidas por causa disso, eu disse a mim mesmo não vou fazer isso comigo, eu tinha deixado de sair para alguns lugares com medo de ter novamente as crises, ja não sai mais para trabalho, resolvi que isso não pará minha vida eu ia lutar contra isso e resolvi enfrentar meus medos um a um, troquei de medico fui a um psiquiatra, que me ajudou muito com uso de medicamentos, estava tento crises em curto período de tempo com os medicamentos e os exercícios que ele recomendou, Yoga, caminhadas estava ficando muito bem, minha recuperação estava ótima, mas ainda não podia dormir sozinha, quer dizer eu podia mas não conseguia quando me sentia sozinha eu ficava aflita e tinha crises, dessa situação tirei grandes lições,

1 - Aprendi a conhecer meu corpo, meu psicológico e e respeita-los

2 - Aprendi a ter paciência comigo e com o ritmo das outras pessoas

3 - Aprendi a delegar responsabilidades

4 - Aprendi a ouvi-me e ouvir os outros

Aprendi que não podia exigir de mim mas do que podia dar no momento,eu via que era isso que fazia, e agora procuro sempre ver minhas possibilidades do momento, eu vi que sou uma pessoa que gosta de ser cuidada, ter atenção, coisa que eu sempre fazia para os outros, não importava para mim minhas necessidades primeiro queria resolver as necessidades das outras pessoas, e sempre exigia muito de mim, agora sou uma pessoa mais centrada e não exijo do meu corpo, mais aprendi a ouvi-lo, e respeita-lo, e vou aonde eu compreendo que é bom para meu psicológico e meu corpo, e se tiver que deixar alguma coisa para outro dia eu deixo, eu compreendi o poder da paciência, ainda não sou a paciência em pessoa mas em alguns caso prefiro esperar o melhor momento, se vejo que alguma coisa não esta bem comigo posso compreender o que é e por que por que me conheço melhor agora, somos um universo muito vasto, nossa mente e muito poderosa, e nós podemos conhece-la, se assim desejarmos, é a viagem mais barata e mais longe e mais fantástica que possamos fazer é em nossa mente.

Outra parte do tratamento que eu aprendi foi servir como voluntária em instituições eu tirava um dia ou dois quando podia e ia a uma instituição onde fui oferecer meus serviços, quando ajudamos alguém esquecemos de nosso problemas e centramos nas pessoas e assim resolvemos o nosso que nem vemos, o serviço voluntário sempre fez parte de minha vida desde de muito cedo, mas nesse período estava parada e fazia alguns anos, retornei minha vida nesse sentido. Depois de um tempo meu medico pediu que eu falasse as pessoas sobre este problema, ai comecei uma serie de palestra sobre o tema, meu Deus vi realmente que eu fui muito forte, conheci pessoa que deixou universidades, vida social e tudo e não mais saiu de casa devido isso eu ficava triste com algumas historias que ouvia, e que bom muitas pessoas chegaram para mim depois agradecendo por que eu havia ajudado, as vezes pensamos que não ajuda mais ajuda falar de nossos desafios e vitorias assim outra pessoas podem estar precisando, meu medico dizia que eu tinha muita força de vontade, na verdade eu pensava que não por que muitas vezes eu deixei de ir alguns lugares por que sabia que não ia ser bom para mim, mas ele disse que era normal no meu caso eu aprendi o auto conhecimento, e isso é muito importante.

Me senti como uma borborleta que estava saindo do casulo, libertando-me do "cárcere da emoção"por que é isso mesmo é um cárcere que nós não podemos nos deixar envolver, continuei a tomar os medicamentos e fazer exercício até descobri que estava gravida, e mudar para EUA, sem falar uma palavra em inglês, no inicio fiquei muito ansiosa, mas agora estou tranquila, sei que o tempo vai me levar a falar a língua, não falo fluente mas posso me comunicar com outras pessoas. Agora estou curtindo minha gravidez, e não uso mais medicamentos, apenas continuo com os exercícios, caminhada todo dia e 2 ou 3 dias Yoga, em casa mesmo.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Sindrome do Panico - parte I A COISA


O que irei relatar aqui, nao se trata de algo cientifico, irei relatar sobre as sensacoes que tinha durante as crises de Panico.

Aconteceu uma noite, neste periodo estava um pouco desistabilizada emocionalmente, havia pouco tempo tinha mudado de cidade, sai do Piaui e fui morar no Amazonas, mesmo sendo no Brasil existe uma diferenca cultural muito grande, trabalhava como cordenadora de um projeto educacional de criancas e jovens em situacao de risco social, no mesmo periodo haviamos realizado um evento onde coordenei a organizacao, o evento era semelhante estas acoes globais onde durante um dia ofereciamos em nossa instiuticao servicos sociais, como registro, identidade, etc. A prefeitura da cidade de Manau na epoca ofereceu doacoes de cestas basicas e cadeiras para pessoas com necessidades especiais, mesmo nao sendo a favor desda medida, uma vez que defendo que cada ser humano tem capacidade de trabalhar e produzir seus proprios recusros, so precisa na verdade de oportunidades e para mim estas oportunidade sao tiradas quando o governo resolve "dar", alimentos, bolsa isso bolsa aquilo, pratica arraigada no Brasil, eu acredito que com isso o povo fica acomodado, o rico mais rico e pobre mais pobre achando que somente os pobres herdarao o "Reino do Ceu", sabemos que sim mas depende do pobre, educacao e oportuniades de trabalho sao totalmente tiradas desse povo que vive as margens, e eles ( o povo) tornam-se mais acomodados diantes das situacoes, por que saber que no final do mes eles terao a famosa bolsa alguma coisa para comprar sua comida, que "comida". Pois bem mesmo nao sendo a favor de tais praticas eu concordei por que a instituicao tambem concordou e cadastramos um numero de X de pessoas que a prefeitura solicitou, mas no momento do evento este stant foi o mais procurado, razao obvias, no entanto o o numero de pessoas excediam o numero de cestas, e isso causou tremendo rebulicho, no evento eu nao conseguia controlar o povo que saquearam o carro da prefeitura tirando os alimentos, essa situacao me deixou profundamente triste e atordoada, eu nuca tinha visto isso em minha vida.. Eh meus amigos e o povo com "fome", eles culpavam-me por isso e me ameacaram, a ponto que eu precisasse sair do evento para outra lugar e outras pessoas resolver isso por mim, por que ja nao tinha condicao emocional de continuar vendo aquilo, eu lembrava cada momento que sai do Nordeste onde o indice de pessoas que passam fome eh muito grande, e nunca tinha visto isso, ja trabalhei como voluntaria em uma penitenciaria e nao vi tamanha rebeliao.
A noite ao retornar para minha casa, tomei banho e um comprimido para dormir e relaxar. Dias depois fui me sentindo ansiosa, nao conseguia relaxar, minha chefe me levou ao seu medico para que pudesse saber o que era isso me mim, estava cada dia mais ansiosa, uma estranha sensacao invadia minha cabeca, sentia dores no pescoco e nas costas, fiquei dias impaciente, nao conseguia dormi, a pesar de usar medicametos para dormir havia algum tempo, neste dia tomei 2 comprimidos e nada, nao conseguia relaxar, uma noite, nao conseguia dormir, uma estranha sensacao, minha cabeca parecia que ia explodir, estranhos pensamentos invadia minha mente, pensamentos acelerados, sudorose, estranhas ondas de calor invadia meu corpo, ondas de medo, sem nenhuma explicacao, meu coracao disparou muito rapido, sentira dores, nao conseguia respirar, meu pensamento era vou morrer aqui sozinha, era tarde da noite meu corpo estava inquieto e a sensacao que ia morrer nao passava, eu fazia oracoes, mas nada, havia tomado dois comprimidos e nao resolveu, uma tensao muscular, tonturas nao podia ficar em nao podia ficar deitada, uma grande confusao em minha cabeca, achava que ia enlouquecer, perder o controle e alem do mais sentia muita debilidade. Isso eh a pior coisa que uma pessoa pode sentir na vida as pessoas que tem isso a chama de A COISA. Na epoca morava em uma kitinet e os apt, sao perto uns dos outros, lembrei de chamar minha vizinha, era 2:00h da manha, sai de casa, bati em sua porta, eu pensava se eu vou morrer alguem tem que saber, nao posso ficar aqui sozinha, meu Deus niguem vai me achar, minha familia nao vai poder me ver, era angustiante, eu batia na porta com tanta forca e desespero que nao foi dificil ela ouvir, a pesar do quarto ficar longe da porta da sala, ela abriu a porta e eu disse que estava morrendo, muito afilta ela fez cha para mim, eu dizia faca somente oracoes comigo, ela dizia voce nao vai morrer Conceicao,voce esta nervosa, como meu esposo nao estar aqui voce vai dormir comigo no quarto, tomei um cha e juntas faziamos oracoes, ela foi pegando em minha cabeca ate que eu ficasse calma e dormir. No outro dia acordei muito cedo muito debilitada, nao tinha forcas, mas resolvi ir ao medico e saber o que aconteceu comigo...

terça-feira, 24 de junho de 2008

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Todo dia é pouco para agradecer a Deus!!!

Bom dia mesmo,
Estes dias meu esposo viajou para Toronto, fiquei hospedada na casa de uma amiga, Susan, na verdade eu ia mesmo ficar na casa de outros amigos, mas Susan fez questão que eu ficasse na casa dela ligando até para os outros amigos e pedindo para eu ficar na sua casa, sabe quando voce quer agradecer alguém por tudo e não sabe como dizer isso? pois é, assim sou eu, ela é uma pessoa maravilhosa, e o tempo que estou na casa dela, tenho muita atenção que chego a ficar sem graça, o mais legal disso é ver que as pessoas gostam de mim, mesmo que eu não fale sua lingua correta elas gostam de mim, eu fico muito feliz com isso. Quando vi morar aqui nos EUA, algumas pessoas me disseram que meu sofrimento ia ser maior por que as pessoas aqui não eram como no Brasil, calorosas, já vinha preparada para viver no meio de pessoas frias que não nos dão atenção, meus amigos e familia no Brasil ficaram preocupados e quando souberam de minha gravidez quiseram vir ajudar-me aqui, realmente as pessoas não são iguais, cada cultura é diferente, mas para minha supresa, eu esotu sendo muito bem tratada, as pessoas me dão muita atenção e quando souberam que estou gravida, meu Deus foi que as atenções dobraram, pode ser que em outra parte dos EUA, as pessoas sejam mesmo frias em seus relacionamentos por que a vida das pessoas aqui é de muito trabalho, mas aqui em Maryland, as pessoas são calorosas e gentis, muito prestativas, pelo menso estão sendo comigo.
Ao chegar aqui por causa do meu preconceito, é eu digo preconceito mesmo, por que foi assim que me comportei como alguem preconceituosa, eu não deixei que as pessoas se aproximasse de mim, não gostava de sair de casa, por que achava que ia ser muito chato estar no meio da pessoas por que eu não falava inglês, mas eu me permiti sair e conhecer as pessoas, vi que era exatamente ao contrario do que eu sabia, hoje me sinto integrada a comunidade, esotu com apenas 3 meses aqui mas me sinto integrada, as pessoas fazem questão que eu sinta-me a vontade em suas casas, meu senso de moderação não permite que eu seja mais a vontade, mas eu me epermito aranhar meu inglês, sorrir, enfim me permitos ser eu mesma, acho que um dos segredos é você ser você mesmo, e não querer fazer todo possivel para agradar, por que quando você perceber está desagradando.
Meu bebê vai nascer em Novembro e algumas pessoas aqui ja disputam que vai cuidar de mim, depois do bebe, mesmo com suas vidas corridas, cada um dos amigos mais proximo ja estao reservando um lugar em suas casas para mim, e meu filho esta sendo muito esperado, fico muito feliz com isso, uma amiga disse que se eu quiser sair de ferias ela pode cuidar do bebe..acho graça disso, e ao mesmo tempo fico feliz, em saber que da mesma forma que esotu sendo tratada com carinho e amor, meu filho tambem será, não tem nada no mundo melhor que uma mãe saber que o melhor espera por seu filho, um ambiente de amor e cuidado.
mesmo que eu viva mil anos e todos os segundos eu agradecer a Deus por suas bençãos ainda assim sera pouco.
Pela benção por meu filho, meu esposo e amigos que encontrei aqui.
sem falar pela benção da minha familia no Brasil, e dos amigos que deixei la.

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Mais um pouco sobre mim!!! so para variar!!


Oi pessoal,
Hoje resolvi falar um pouco sobre mim, ja falei do meu esposo e um pouco de sobre minha chegada aqui nos EUA, as fotos acima sou eu.. este dia fomos ao jardim Nacional em DC, passear um pouco, como sempre sentia muito frio, fomos, minha sogra, nosso amigo Erik, Boyd e eu, o passeio foi agradavel, estava um pouco indisposta, por causa do frio, essa é a reaçao que o frio causa mim, por menor que seja já é um motivo para eu ficar muito indisposta, estes dias esta otimo está no verão, mas de uns dias para cá tem feito um vento frio dai eu prefiro ficar dentro de casa, ja estou pensando no inverno,   programava ir ao Brasil para ficar la pelo menos a maior parte do tempo frio, já não penso mais,  por que nascerá nosso amor Maior, nosso Baby, em novembro...  estamos muito ansiosos para ver a carinho dele ou dela, saberemos na proxima semana.
Mas enfim, estou aqui para falar um pouco dessa figura, linda, maravilhosa, inteligente, e alegre.. ops..não é a vez de falar do Boyd agora é de mim ..vamos começar de novo, então..?
Quem sou eu? Bem sou Conceição, Maria! Não posso esquecer  que sou Maria também..ok!
Maria da Conceição Staszewski.. na verdade omiti o Gomes, não, que não goste, mas para ficar menor, por causa do casamento,  tirei o Silva, mas amo Silva..sou Silva da minha mãe e Gomes do meu pai. Nasci no Maranhão no interior do MA, em uma cidade chamada Matões..quase niguem conheçe é uma cidade pequena, mas com pessoas muito boas, e inteligentes, não cresce muito por causa da politica, que não ajuda e o povo idem por não saber votar, sai dessa cidade com apenas 8 anos, e fomos morar em Timon, perto de Teresina capital do Piaui, um estado que amo de paixão, morava em Timon e trabalhava em Teresina, mas isso não era previlegio so meu, na verdade quase todas as pessoas faziam isso todos os dias, afinal era um único lugar que tinha emprego e apenas 10 mim de Timon, depois mudei para Teresina, morei sozinha, quer dizer tentei por que minha mãe sempre preocupada mandava alguem ir dormir em minha casa para eu não dormir sozinha, isso é corujisse, e Boyd ainda diz que sou mimada, quem fez isso comigo? Mesmo sendo "mimada" sempre fui pé no chão nunca desejei nada além do que podia ter, minha familia eh simples, passamos por varias desafios na vida, e o pior dele para mim foi a separação dos meus pais, foi algo que até pouco tempo eu não havia digerido, mas esse tempo todo eu lutei para trazer meu pai de volta para casa, eu nunca aceitei tal decisão, e no ano passado, soube que ele estava doente,  em Brasilia, não hesitei consultei com meus irmãos e trouxe ele de volta ao nosso convivio, agora com 70 anos, depois de quase 20 anos longe de casa ele retornou, e minha familia esta muito feliz, acho que ele tambem pois agora ele viu que seus filhos e sua esposa estão sempre perto dele, minha mãe sempre se fazia de forte mas eu sabia que ela tambem sofria, para meus irmão foi dificil, mas como era a mais nova foi mais dificil ainda, Minha Mãe, meu Deus, por mais que eu procure no dicionário palavras para desecreve-la, não teria, como diz meu sobrinho ela é um misterio de Deus uma pessoa fora do comum em bondade, meiguice e amor, o rosto dela ja transmite isso, fico muito feliz quando alguem diz que sou a copia da minha mae, queria mesmo ser igual a ela, o amor que ela tem pelas pessoas, o senso de servitude, mas... tambem ela é muito dengosa, eu nem posso falar por que sou do mesmo jeito adoro um carinho,  sou a sexta filha e quando eu nasci todos ja estavam grandes, e adivinha de que era as atençoes da casa? Mas eu não era uma pessoa facil assim como não sou ainda, sempre fui muito rebelde a ponto da madre do convento pedir que eu deixasse o lugar para alguem que quisesse realmente, na epoca eu queria, mas não aceitava algumas imposições, deixa para lá, ela fez o melhor para mim, embora tenha sido dura nas palavras, mas a vida muitas vezes foi mais dura do que aquelas palavras comigo, tempos depois conheci a Fé Bahá´í e hoje sou bahai e uma pessoa como posso dizer completa, pois sei exatamente o que eu quero e para onde ir, tenho rumo certo, que as vezes são cheios de desafios, mas o que seria do sucesso se nao tivessemos desafios?
Em 2004, decidi mudar de cidade e resolvi  morar me Manaus, Manaus. meu Deus, meu inicio de vida la foi muito dificil, muitas vezes eu quis voltar, mas como sou do tipo que quase nunca recua, fiquei por la mesmo, o tempo foi passando e hoje, amo Manaus como se fosse minha cidade Natal, sou manauara de coração, e com muito amor, morei em Manaus, 4 anos até conhecer meu esposo que foi fazer um trabalho na instituição que eu trabalhava, e foi amor a primeira vista ( mas detalhes vide meu livro em breve), nossa historia começou realmente com uma lagrima e um sorriso, ( explico no livro), ele retornou ao EUA e aprendeu portugues, pergunta se eu aprendi ingles? nadica de nada, e em fevereiro do ano seguinte nos casamos, e entre uma conversa e outra eu tentava convece-lo a morar no Brasil, mas nao tive sucesso até ele me fazer uma proposta, vamos morar nos EUA, e tentamos um ano se voce não gostar mesmo, retornamos ou Brasil, e bem estamos no mes de junho, tenho 3 meses aqui, não posso dizer que amo morar aqui, por que como nordestina tenho uma herança cultural muito forte, mesmo morando em Manaus, eu nuca deixei de ser Maranhense em minha forma de falar, e agir e até mesmo na culinaria, a pesar de amar a culinária Manauara.
Meu inicio aqui foi muito pertubador, eu ja relatei em outro texto ( EUA x BRASIL LIÇOES APRENDIDAS), as coisas foram mais dificeis do que imaginei, estava preparada para algumas coisas mas outras não esperava passar, na verdade o texto abaixo nao fala de todos os detalhes até por que eu não pretendo falar de coisas triste, mas, apenas dizer as liçoes que tirei de cada situação.
Em Manaus conclui minha faculdade de Pedagogia, trabalhei como coordenadora de capacitacao de RH, e coordenadora de projeto com pre- jovens, trabalhei tambem com idosos, que apredi muito e quem sabe irei estudar Gerontologia, eh uma idade fascinante, alegria, amor, e tudo de bom, dei alguns treinamentos sobre lideranças e educacao de crianças, diziam que eu era bombril. Eu adorava o que eu fazia me sentia realizada e útil.
Nunca fui uma pessoa triste, sempre tive uma boa auto-estima, mas tinha meus momentos de tristezas, na verdade momentos, sempre procurei ser alegre e sempre distribuir alegrias as pessoas, nao me sinto bem perto de pessoas baixo astral, entao tento anima-las, na juventude minha  auta-estima foi um pouco baixa, causada por conseguencias de alguns acontecimentos traumaticos, que ja estao superados. Minha mae e meu pai sempre trabalharam para sermos unidos como irmaos e obdientes, e que nunca desejasse aquilo que não podia ter a menos que trabalhasse, meus irmãos começaram trabalhar cedo, (os homens), lembro que meu pai  os colocou para trabalhar sem ter salario, so para não ficar na rua, e isso fez deles os homens que são hoje responsaveis, e trabalhadores, minha irmão mais velha morreu a 2 anos foi uma dor muito grande, mas depois de ve-la sofrer por 16 anos com uma doença rara no cérebro compreendemos que era o melhor para ela.
Sempre fomos muitos juntos, eu e meus irmãos, brigavamos, mas quem nao briga,  eram momentos, por que nossos pais, nunca deixavam que ficassemos muito tempo sem nos falar, de todos os filhos eu sempre fui a mais rebelde, por tanto  quem mais foi reeprendida, fiz cada coisa que minha mae dizia para mim: Espero que voce tenha uma filha igual voce, so para saber o que passei,  espero que minha filha ou filho, seja um pouco diferente na rebeldia, mas o mais eu gosto de mim, gosto da forma como fomos criadas e o resultado de nossa educacao e a pessoa que somos hoje, muito embora so hoje eu reconheça o valor da educação que recebemos, minha mãe não foi alfabetizada, nós fomos para escola e ja adultos ajudamos nossa mãe se alafabetizar,  mas sei que sabedoria não se recebe nas escolas, minha mae mesmo sendo uma pessoa que sofreu muito na vida, filha de mãe solteira e ainda por cima criada por outra familia, sempre foi um mulher..MULHER, sabia e muito amorosa.
Depois que fui morar em Manaus eu compreendi muito sobre minha mae, e minha familia, mas aprendi a viver longe de casa, em Manaus conheci uma pessoa maravilhosa, que a considerava minha segunda mãe, mas literalmente mãe, quando descobri que tinha sindrome do panico, essa senhora praticamente deixou a casa dela e mudou para meu pequeno Apt, so para ajudar-me, dormia as noite comigo, já que minha fobia acontecia na maioria das vezes a noite o medico recomendou que eu procurasse não dormi sozinha, então ela deixava sua casa todas as noites para dormir comigo, em troca de um muito obrigada, não tinha dinheiro para pagar e mesmo se tivesse não teria valor isso, fora ela muitas outras pessoas se preocupavam comigo, quando ela não podia tinha outras pessoas, que iam, ou entao se eu ficasse sozinhas as vezes que tentei, no meio da noite eu tinha A COISA, é assim que a chamamos, eu ligava para um casal amigo que sem hesitar iam me buscar me casa, qualquer hora da noite, não eh fácil lidar com isso, não é depressão que graças a Deus não tenho,  algumas vezes uns momentos tristes, mas que logo eu me recupero, mas Sidrome do Panico e algo que não desejo para ninguem, se voce não tiver cuidado pará sua vida, como vi em algumas vezes que fui fazer algumas paletras sobre  o tema, sobre minhas experiencias e como descobri que tinha isso, meu teraupeta achou que seria bom por que eu tinha uma recuperção muito boa, mesmo sabendo que algumas coisas me limitariam eu enfretava meus medos, muitas vezes sai de restaurantes ou shopping por que não podia ouvir nem ouvir nem ver muitas pessoas, depois irei escrever só sobre isso. Assim sou eu, minha vida sempre foi uma caixinha de supresa até para mim mesmo, depois de um tempo eu deixei de planejar minhas açoes e confiar em Deus, aproveitar as oportunidades dada por Ele, e ter fé, muita fé, quando digo deixei de planejar não quer dizer que sento e fico igual ao musica do Raul, com a boca escancarada cheia de dente esperando a sorte chegar..(na musica ele diz morte)..mas eu não fico esperando a sorte sou de agir, aprendi a reconhecer o momento certo e agir, aproveitando todas as oportunidades e aprendendo com os desafios e fortalecendo minhas debilidades e claro resaltando minhas qualidades.
nunca planejei morar nos EUA, na verdade eu era meio anti - Estados Unidos, anti- enlatados, anti - MaC donalds, anti-artificiais, casar com Americano era pesadelo, dai podemos ver por que eu nao fico planejando, as coisas Deus decide por mim , as coisas que eu dizia que não ia fazer, como sair de casa e morar sozinha por exemplo,  mas nunca, isso era uma idéia remota e sai, gostei que hoje mesmo que fosse solteira nao saberia voltar para casa, na verdade uma vez que você sai, voltar eh diferente,  enfim, ainda continuo anti- artificiais, um amigo disse hum quando voce tiver morando la vai ver logo vai gostar de Macdonald, eu nao disse que nao gostava so não adoto como algo indispensavel, vivo sem numa boa, e ja estou ajudando meu esposo que vivia nos haburgues a comer comida, de verdade e saudavel feita em casa, suco, natural ele ja ate sente falta quando não tem e quando faço se eu não tomar logo ele usa tudo, fico feliz, moro aqui, mas não sou obrigada a concordar com o tudo, respeito mas não adoto para mim algumas coisas, os fast food da vida, prefiro a comida artesanal que aprendi com minha mãe. Meu esposo já até esta acostumado, talvez uma coisa ou outra, mas pelo macarrão todo dia ja acabou em nossa casa, sem falar que quando  faço, macarronada faço artesanal, eu não esquento aquele molho e uso em cima, eu faço meu próprio molho.
Pode ser que no futuro eu adote uma coisa ou outra, mas espero que não, mas não digo nunca mais dessa água não beberei. Eu gosto de viver aqui, estou aprendendo sei que nao muito tempo eu ja estarei em minha casa,digo em minha casa, me sentindo em minha casa mesmo, este pais e muito bom tem tudo que se precisa, as pessoas sao abertas pelo menos onde vivo.
Eita!!!!! ja escrevi demais poderia ter separado em capitulo,  fico por aqui o capitulo completo esta em meu livro que breve será lançado.. não me pergunte quando.
E lembre-se " A TERRA É UM SÓ PAÍS"

terça-feira, 17 de junho de 2008

Jamais vou deixar de trabalhar no Brasil’, diz Rodrigo Santoro


Tava vendo sobre as noticias do Brasil e vi esta de Santoro, rapá seu eu era tua fã, eu fico mais feliz ainda de saber que você além de talentoso é humilde.

Fico muito feliz em saber que temos pessoas que lembra que seu país, o seu país é o melhor!!!! Fazemos parte do mundo, assim como em casa fazemos parte de toda a casa, mas sempre tem um cantinho onde somos muito mais felizes, que em outros lugares...eu por exemplo adoro conversar na cozinha, os papos ficam mais gostosos, é assim nossa relação com nosso País, é sempre o lugar onde nos sentimos verdadeiramente nós mesmos.
Vivo nos EUA, e sou feliz aqui, por minha familia, meu marido e breve meu filho, estão todos aqui, gosto daqui e ja considero minha casa, mas minha cozinha está lá, no Brasil.. quando falo de cozinha falo até mesmo no sentido literal, para nada substitue aquele colunária, mesmo meu esposo senso Americando, concorda comigo, afinal ele adora um churrasco brasileiro e o café então, o suco de maracujá... e claro sua esposa, todos produtos brasileiros.

Nunca, nem pensar, jamais”: a resposta de Rodrigo Santoro é enfática quando perguntado sobre a possibilidade de deixar seu país de lado em função da carreira em Hollywood. “Jamais vou deixar de trabalhar no Brasil”, diz o ator carioca, que já acumula sucessos como a superprodução “300” e a série “Lost” em seu currículo. Santoro está no Brasil para o lançamento de mais uma produção estrangeira, o longa-metragem “Cinturão vermelho”, dirigido por David Mamet, que estréia na próxima sexta-feira (20). A paulista Alice Braga, que também está no elenco, juntou-se ao ator nesta segunda (16) para falar à imprensa sobre o filme. “Já era fã do Rodrigo [Santoro], agora sou mais ainda”, diz Alice, que dividiu o set com Rodrigo pela primeira vez. “Filmar em Hollywood com uma brasileira dá uma espécie de conforto, é muito bom”, afirma Rodrigo, que no longa interpreta o irmão da personagem de Alice Braga. “Não dá para dizer se é melhor ou pior, mas posso dizer que trabalhar lá fora é muito diferente daqui; sinto muitas saudades da minha terra, do meu canto”, diz Santoro, que revela estar “com muita vontade” de voltar para a TV brasileira.

Carla Meneghini/G1
Rodrigo Santoro e Alice Braga falam de 'Cinturão vermelho', que estréia na sexta Um brasileiro em Hollywood
Para o ator, atuar em inglês ainda é “um grande desafio”. “Eu acho que sempre vai ser um obstáculo; já tem tempo que estou lá, mas ainda está longe de ser fácil”, afirma. Santoro conta que durante as filmagens de “300” se pegou, no meio de uma fala, pensando: “quem é essa pessoa que está falando?” “Às vezes fica estranho mesmo, nem eu me reconheço”, diz rindo. O ator diz que fica emocionado quando percebe a torcida dos brasileiros em relação à sua carreira no exterior. “É uma coisa muito bonita, em todos os lugares que vou encontro muitos brasileiros e sempre recebo muito carinho”, conta. “Fico profundamente emocionado, adoro essa coisa patriota”, afirma o ator, que diz fazer questão de não ter um apartamento no exterior. “Minha casa é aqui, quero marcar isso mesmo.” Apesar de gostar da torcida brasileira, Rodrigo Santoro diz que tenta esquecer isso no dia-a-dia. “Essa história de representar o país é bonita, mas também é muita responsabilidade. Trago meus pés para a terra, porque quando vou dormir sou só eu e meu travesseiro. Não posso achar que isso me faz melhor do que ninguém.”

O Desenvolvimento Emocional do Bebê


Há algum tempo atrás, dizia-se que o desenvolvimento emocional do ser humano iniciava-se no momento de seu nascimento. Com o passar do tempo, e depois de muitas pesquisas tanto na área tecnológica como psicanalítica, foi concluído que o desenvolvimento do psiquismo humano tem início ainda no ambiente intra-uterino. Esse fato pode ser claramente comprovado observando-se a alternância de intensidade nos movimentos fetais, e nos batimentos cardíacos do bebê através da ultra-sonografia e da ecografia, de acordo com as alterações emocionais da própria mãe. Sendo assim, é de extrema importância para o seu desenvolvimento emocional, que o bebê se sinta querido, amado, desejado e participante da nova família. No ventre materno, o bebê tem acesso a determinados sons, que com o passar da gestação, tornam-se familiares a ele, tais como: os batimentos cardíacos da mãe, os sons da digestão, gases, a voz da mãe, pai e pessoas do convívio familiar, e alguns outros sons externos que mesmo um pouco abafados, continuam audíveis pelo feto. No caso de alguma alteração no estado emocional da mãe, esses sons se modificam, e há a produção alterada de hormônios e substâncias químicas, que ao penetrar na corrente sanguínea, ultrapassam a barreira placentária chegando ao feto fazendo com que o ambiente até então tranqüilo e confortável torna-se sombrio e ameaçador. Nesse momento, a mãe pode perceber claramente a mudança no comportamento do feto. Muitas vezes torna-se agitado demais como se estivesse tentando se defender, ou pára bruscamente os seus movimentos caindo em sono profundo como num mecanismo de fuga. Até o final do primeiro trimestre de gestação, o feto não sabe identificar ao certo alguns estados emocionais da mãe por imaturidade neurológica, porém os reconhece como sensações agradáveis ou não. Com o passar do tempo, e o amadurecimento do sistema nervoso, passa a identificar melhor essas emoções e reações provenientes do matroambiente. As emoções sentidas pela mãe são integralmente sentidas pelo bebê, causando muitas vezes um grande sofrimento e desconforto por parte do feto. Nesse momento é importantíssima a qualidade do vínculo afetivo firmado entre mãe e bebê, pois no caso de haver qualquer alteração emocional o bebê enviará uma resposta de desconforto, que prontamente será percebida pela mãe, e esta, tentará aliviar essa tensão no bebê, conversando com ele, fazendo um carinho no ventre, de modo que o ambiente intra-uterino volte a apresentar o conforto necessário para que o bebê se sinta amparado e protegido. A participação do pai e irmãos nessa busca pela tranqüilidade intra-uterina também é importante, pois além de o bebê se sentir desejado, amado e membro da família, facilita o reconhecimento paterno precoce e conseqüentemente a formação do vínculo familiar no bebê logo após o nascimento. Portanto, o pai e irmãos devem acariciar o ventre da mãe e conversar com o bebê o máximo que puderem. Um bebê gerado em ambiente tranqüilo, cercado de carinho e amor, no futuro se transforma em um ser humano mais seguro e confiante em si mesmo.Denise Paternostro Bueno da Silva - Psicólogamailto:bem_nascer@novaodessa.com.br


Eu peguei esta reportagem de outro Site!!

Você Unico!!!!

Sua presença é um presente para o mundo.Você é o único e só há um igual a você.Sua vida pode ser o que você quer que ela seja.Viva os dias, apenas um de cada vez.Conte suas bênçãos, não os seus problemas.Você os superará, venha o que vier.Dentro de você há muitas respostas. Compreenda,Tenha coragem, seja forte. Não coloque limites em si mesmo.Muitos sonhos estão esperando para serem realizados.As decisões são muito importantes para serem deixadas ao acaso.Alcance o seu máximo, seu melhor, seu prêmio.Não leve as coisas tão a sério.Viva um dia de serenidade, não de arrependimento.Lembre-se que um pouco de amor dura muito. Dura sempre!Lembre-se que a amizade é um investimento sábio.Os tesouros da vida são as pessoas.Perceba que nunca é tarde demais.Faça a coisa simples, de uma forma simples.
Autor desconhecido

Cafe com Cuscuz


Pois é hoje acordei cedo e com uma fome de comer um leão, antes de sair da cama claro dei alguns abraços e beijos em meu esposo, e disse-lhe que tava com fome, claro para ele não é novidade porque ultimamente, eu tenho sentido muita fome, por causa da gravidez. Era exatamente 5:30 da manhã, meu filho pode não ser igual ao Iron Man, mas será muito forte, algumas vezes que tenho fome se, Boyd não fizer nada, eu nem consigo levantar de tanta falta de energia Meu Baby ultimamente tem crescido muito graças Deus, e me deixando sem conseguir dormir, novidade! pois é não dorme eu nem Boyd, e ainda mais que minha cama e muito soft, ai que não consigo dormir bem, a ponto de me mudar para outro quarto com uma cama mais dura, coitado de meu esposo, tem tentado ficar lá mas a cama e dura para ele, sem falar dos movimentos e dos AIS, das levantadas ao banheiro a noite, ele não consegue dormir, e assim ficava no vai e volta entre um quarto e outro, até que disse amor, dorme lá melhor, pois aqui você não consegue, o coitado ia trabalhar no outro dia feito um zumbi, dava dó, até um colchonete ele comprou para ficar dormindo do meu lado, mas nada resolveu, no inicio fiquei bolada achando que isso poderia nos separar. Mas ai eu vejo realmente que o amor supera tudo é bondoso e tudo faz para que hava bem estar. Claro que pensamos um no outro, e antes de Boyd dormir ele entra no quarto onde estou e fica comigo até eu pegar no sono, abraçada com meu travesseiro de coração e meu pano branco de cheirar que minha mãe me deu quando eu era mais jovem, em substituição a outro que ja não se aguentava de tão velho. Para ele isso e muito engraçado ver que eu para dormir nao largo meu travesseiro pink de coração.
Hoje, acordei cedo, antes eu deitei um pouco com Boyd e fiquei por algumas horas, ao sair deixei ele acompanhando do meu velho lençol e meu travesseiro pink de coração.
Para variar eu não dormir bem, afinal a noite eu vou ao banheiro umas trozentas vezes, e minha barriga que não encontra uma posição.
Ao levantar fiz meu café com cuscuz, e ovos e sentei e comi aquele prato, sozinha é claro, Boyd não gosta de cuscuz.
Minhas forças logo retornaram, e então hoje resolvi não ir agora pela manhã com ele para TV, lá tem uma cama so para mim, para quando estiver cansada, o engraçado é que na rádio todos respeitam meu sono da beleza depois do almoço, antes de entrar na sala de Boyd eles verificam se eu não estou dormindo. A cama e ótimo semi-ortopedica então eu tiro um ronco legal, Boyd agora ta com a ideia de trazer ela para nossa casa e colocar no nosso quarto, mas não quero, eu preciso dela lá, ja que sempre vou com ele para o escritório para não ficar sozinha no meio da floresta, Graças a Deus todas as pessoas gostam de mim, Boyd até fica supreso já que as relaçôes aqui são muito formais, somente eu ando descalça pela rádio, tenho cama e ainda por cima, nem funcionária eu sou, com meu inglês se arrastanto eu vou a todos as salas e as vezes não deixo alguém em paz quando quero algo. Ontem foi engraçado, eu queria fazer uma pesquisa sobre os sendo dos EUA, coisas de Conceição, eu lutava e nada, Boyd muito ocupado não podia parar e me ajudar, eu fui na sala e outro e pedi ajuda, que coitado deixou sem trabalho para me atender, logo chegou outro ele pediu que me ajudasse, mas quem terminou me ajudando foi um visitando de Chicago que veio conhecer a Rádio. Meu esposo disse que sou mesmo uma criança, saimos cedo ontem e fomos a uma loja comprar sapatos para mim por que meus pés estão ficando enchados, na loja foi um novela para eu escolher um simples sapato.
Mas o melhor foi ouvir do meu marido que tava orgulhoso de mim, e mais hoje ao levantar da cama, ele beijou-me e disse que me amava e que eu fazia os dias dele cada vez melhor, será que existe coisa melhor de se ouvir, melhor presente pela manhã? Nao há, isso me faz feliz, acho que a mais feliz da face da terra, estou aqui sem trabalhar, mas posso dizer que no momento não preciso de dinheiro, nem ir ao shopping todo mês, como fazia em Manaus, eu so preciso desse carinho desse amor, e da compreensão do meu esposo, seu afeto.
Confesso que as coisas mudaram muito, Boyd sempre foi carinhoso comigo, mas também ele é o típico homem moderno e prático, dando presentes para alegrar o coração da amada, quando sou diferente, eu prefiro uma so palavra de afeto e carinho, abraço do que mil presentes e ele distante de mim, ele ja aprendeu isso e adaptou, toda semana vamos ao cinema, eu não entendo uma so palavra, mas so em estar com meu esposo esotu feliz, ter ele perto de mim ja é suficiente.
Boyd disse que todas da comunidade gostam de mim, por que eu trouxe alegria a comunidade, melhor do que ouvir isso é esta grávida, eu realmente espero eu Deus, que possa estar levando alegria a todos, essa é minha maior aspiração, servir, servir e servir as pessoas, seja como for, dando carinho, alegria, mas que de alguma forma trazendo ao coração das pessoas muito amor.
Eu e minha familia ( esposo e filho) estamos aqui somente para este propósito, servir.
Eu e Boyd somos duas pessoas completamente diferentes, a começar pelas musicas, as vezes eu adoro ouvir um bobagem, e no carro é uma guerra por musicas, ele gosta de um rock meio lento, ja eu adoro um barulho de guitarra, uns gritos, depois rapidamente eu mudo para Kalipso e termino com, classica vai entender. Durante as voltas de carro as pessoas ficam olhando para mim dançando dentro do carro, acho que pensam que sou louca mais não me preocupo por que sei que aqui as pessoas cada um tem sua vida e não ligam para as loucuras dos outros.
Os amigos de Boyd quando estao no carro, tem que se conformar se eu estiver de posse do Ipod.

domingo, 15 de junho de 2008

Lições Apreendidas - II, Somos o que somos ou o que podemos ser?




Somente hoje sentei para ler a mensagem do Ridvan de 2008. Parece mentira mas eu fiquei esperando um dia tranquilo para sentar com calma e estudar esta tão importante mensagem aos bahais do mundo e refletir sobre o que a Casa esta nos dizendo, é uma pena por que na verdade tambem eu esperava estudar ela com meu esposo e esperava ele ter tempo, mas ultimamente ele anda muito ocupado, ele até que ja leu a mensagem junto com a própria Casa de Justiça na ocasião da Convenção, mas eu disse-lhe que juntos podíamos aprender mais ele me passava suas aprendizagens e quem sabe, ter novas percepções do material, mas enfim não deu, mas ainda vamos estudar juntos.
Durante a leitura e me pus a refletir um pouco sobre as palavras da Casa diante do atual estágio de nossas instituições das ações que estão sendo desempenhadas pelos individuos ao redor do mundo e mais ainda da situação dos bahá´ís do Irã, que a pesar das multiplas preserguições, eles estão ombreando sem reservas os serviços de nossa Amada Causa.
Na mensagem a Casa fala da postura que devemos ter diante da humanidade, fiquei feliz com o avanço de nossas instituições, e mais ainda com avanço do empenho das iniciativas individuais que está ocorrendo no mundo, isso está aumentando o processo de entrada em tropas, mais e mais pessoas estão reconhecendo e aceitando aqueles princípios que são o caminho para a PAZ MUNDIAL, estão “ombreando a responsabilidade pela vitalidade espiritual de suas comunidades realizando energicamente aqueles atos de serviços condizentes com um padrão saudável de crescimento”. E a postura adotada, uma postura de humildade para aprendizagem, coragem sabedoria etc., é realmente encorajador ver o crescimento de Nossa tão Amada Causa, cada vez mais ciente estamos dos processos pelo quel o mundo estã passando, “integração e desintegração”, testemunhamos o “aumento da receptividade á Fé em todas as partes do globo”. Os sistemas mundiais estão falidos as velhas arvores fruto algum ja nao produzem e nosso trabalho diante de dessa situação, é levar mais e mais esperança ao coração daquelas pessoas que buscam por sua identidade.
A casa ainda afirma que essa receptividade irá aumentar a medida que a agonia da humanidade se intensifique, parece assustador, mas é a oportunidade que temos de levar aos coraçoes dos homens os ensinamentos que irá garantir para eles e para todas raça humana a paz e traquilidade.
Percebemos que nosso processo de capacitação para atender tais demandas, esta avançando mais rapido, a humanidade está sedenta, com fome e muitas ainda não poceberam, que os valores morais e espirituais estão sendo deturpados, o mundo vive em grande agonia e o remedio está em nossas mãos.
Shoghi Effendi já enfatiza  os bahá´ís não procuram sua salvação individual e sim coletiva, não queremos levar todos para o céu e sim trazer o céu para este mundo, a pesar de cada ser humano carregar a responsabilida por sua vida, todos nos  somos responsavéis juntos pelo bem da coletividade, bem da humanidade, por que não podemos criar “uma sociedade de ouro com indivíduos de pedra” , se eu não melhorá como pessoa o outro não poderá melhorar também, é uma relação de troca mútua. Como baha´is nós estamos empenhados em levar aos corações de cada ser humano os ensinamentos que irá garantir o bem do mundo. Cristo afirma em sua oração “ Que seja feita Vossa Vontade aqui na terra como é feita no Céu’ tenhamos certeza ja afirma a Casa Universal de Justiça “ que nosso  processo de capacitação... ainda está em seus estagios iniciais”, e nos próximos anos o tumulto o estado caótico do mundo ira testar nossas capacidades até seus limites.
Obeservamos uma humanidade exaurida pelas forças da opressão gerada por todos os lados, preconceitos de todas as formas, o materialismo desefreado, e pior todas estas forças estão mascaradas, o preconceito está escondido atrás da tolerância, - mas o que é tolerar? Tolerar é aguentar, suportar algo com paciência. Acredito eu que apenas suportar não dar segurança de levar isso por toda a vida, ele está ali, está escondido e em algum momento essa minha “ Tolerância” pode chegar ao fim, e o que estã dentro pode sair e de forma mais brutal. Posso estar errada, talvez eu não esteja compreendendo, mas acredito que devemos nos esforçar para desenvolver um amor dentro de nós amor que seja genuíno puro,  e assim, só então teremos forças para levar avante esse peocesso de integracao do mundo, por que só amor, “ é paciente, bondoso, tudo suporta, tudo perdoa e não pede nada em troca”, não é condicional age sem reservas e não busca seus próprios interesses. Não quero fechar meus olhos e cair na armadilha, não posso, não devo.
O mundo precisa de amor que seja verdadeiro e isso está realmente dentro de cada um de nós uma vez que somos a própria essencia do amor, por que Deus ao nos criar, primeiro Ele nos amou e so então nos criou e por que eu não amo? O amor brota de nossos corações,o amor que o mundo precisa não pode ter nenhuma mancha, nenhuma máluca.

Nossa sociedade está imersa no mar do materialismo, e é enconberta pela praticidade, pela necessidade, eu preciso de uma vida prática, assim posso agir ganhar tempo, mas tempo para que?
Para familia? Amigos? Mais trabalho? Servico a humanidade? Para que queremos tempo.  Não podemos fechar nossos olhos, nossa família sente nossa falta, não sentamos mais para tomar cafezinhos com nossoas amigos, colocar as conversas em dia, contar piadas as vezes sem graças mas so o prazer de estarmos juntos ja compenssa, as cartas já nao existem para algumas pessoas, até mesmo os jogos que precisavam de duas ou mais pessoas, agora podemos fazer isso sozinho, as relações humanos estão distantes e as pessoas se sentem solitárias e as vezes não entendem por que, as maquinas tomaram conta de nossas vidas com a internet estou conectada com o mundo, posso falar com meus amigos e ao mesmo tempo fazer outra atividade, não preciso vê-los,   posso falar com todos, famílias, amigos tudo muito rápido, não estou aqui condenando a internet que aliás tem me ajudado muito, talvez eu esteja so refletindo sobre algumas de nossas atitudes em relacao seu uso, ela uniu o mundo mas algumas separou as pessoas, talvez isso não era o propósito de que a criou, mas nós fizemos ela se tonar isso, sei que tem mais vantagens do que desvantagens, nós é que substituimos as pessoas pelas maquinas, por exemplo, um pai que não tem tempo para o filho, para compensar dar-lhe um computador de ultima geração com internet, mas a presença dele é o que realmente a crianças queria, e a magia do olhar, do abraçar do toque, das coisas que acolhem fica sem existir vai perdendo seu lugar, e as pessoas estão cada vez mais doentes, doentes da falta, falta de carinho, falta de afeto, de cuidado, um pessoa triste as vezes não quer ouvir palavras, mas um abraço é tudo que ela quer.
Meu marido diz que muito mimada, no inicio eu ficava furiosa, depois eu aceitei, e hoje eu digo sou mesmo e gosto, e digo mais, meu querido, não sou eu, é o povo que gosta de me dar carinho, e sabe por que? Por que eu sei receber, portanto não sou mimada sou amada, e gosto, eu gosto de um abraço, de um toque, gosto de sentar e comer pipoca tomando suco de cajú.
As vezes que nós saimos aqui para um restaurante, ele pergunta o que eu quero bebe, eu olho e digo agua ele diz água e por que so água? Eu digo por que é a unica coisa natural que vejo aqui, e suco eu faço em minha casa, compro as frutas e eu mesmo faço, outro dia eu conheei uma senhora brasileira conversamos muito e falamos de muitas coisas, eu disse sabe o que estou com saudades, de um bolo que minha mae fazia e que em Manaus eu comia muito, de milho com coco, eu disse-lhe até que quero fazer mais como ainda  não conheço os ingredientes em inglês eu nao me arisco, ela falou menina por que perder tempo, compra uma caixa pronta e faz é muito mais pratico, eu ouvi e nada falei, é o ponto de vista dela, mas para eu gosto da magia, de meter a mão na massa, mexer todos os ingredientes , e ter todo esse trabalho.
Em outro dia fui ao medico para ver como anda a gravidez, rotina mensal, no consultório tinha muitas mulheres com seus bebês, todos dentro de uma cesta, parecia cesta de compra daquela que a mamae levava para feira e trazia com as compras, acho que o nome é Moisés, é um troço bem prático, eu olhei aquilo e disse ao Boyd amor não inventa de comprar isso para nosso filho, ele falou que aquilo era muito prático, enquanto você estava com o bebê podia fazer outras coisas como atender celular, ler revistas, eu disse que meu filho não era mercadoria, eu queria ele sempre perto de mim, aproveitar cada hora dele perto do meu peito, do meu coração, esse objeto separa a mãe do bebê, a crianças e levada de um lado para outro como se fosse mercadoria eu não quero isso, sei que meu filho so terá uma infància e para crescer é muito rápido, quero aproveitar cada momento perto dele, quero que ele ocupe o espaço que é dele e de mais nada, não tem celular não tem revista quando eu estiver com ele, meu esposo disse ja estou vendo duas crianças em casa, você e o bebê, eu disse quero ser sim e quero que meu filho seja uma eterna criança, claro que em sua educação quero que ele desenvolva todas suas capacidades e potencialidades, mas sem perder a magia da vida, que so as crianças podem ver. Minha mãe teve seis filhos não precisou disso, por que eu iria querer usar isso com meu filho ja que não foi usado para mim.
Esses dois exemplos que dei em parte para ilustrar o que estou tentando dizer e tambem para que eu mesma possa lembrar sempre dessas palavras e não cair na armadilha da praticidade que tanto separa as pessoas, já não podemos ficar parados diante dessas situações, a humanidade sofre embora muitos ainda não percebem, as relações entre as pessoas estão esfriando, uma amiga que vive em outro país agora está de volta aos seu país de origem, e tudo por causa da frieza que ela vem enfrentando pela frente a frieza do clima e das relaçoes entre as pessoas, que algumas vezes não se cumprimentam nem por educação,e quando o fazem não olham nos olhos, ela disse que por mais que seu país não seja a maravilha do mundo, como alguns acham, as pessoas conseguem se olhar nos olhos, e se comunicar, e grandes amizades surgem de uma simples caminhada, isso ainda é magia, que para quem se dar conta não pode deixar acabar.
Amar é ser útil é servir ás pessoas, isso gera uma força, quando servimos com sinceridade uma energia e gerada e, não só as pessoas, mas tudo ao nosso redor é vivificados mesmo inconscientemente e nós mesmo ficamos felizes, é um misterio e há que não acredite, mas sendo todos nós filhos de Deus, irmão e nascidos da mesma vida, é perfeitamente possivel acontecer. Costumanos nos ver apenas nos aspectos fisícos, assim somos todos diferentes mas do ponto de vista da criação, fomos criado pelo mesmo Criador, portanto somos iguais, sabemos que por detrás do mundo fenomênico que está em mutações constantes está o reino que nao muda, o reino de Deus, e é este reino que estamos trabalhando para trazer a terra.
“O DESTINO DA HUMANIDADE ESTÁ EM NOSSAS MÃOS OUSARÍAMOS ESPERAR”?

O objetivo fundamental que anima a Fé de Deus e Sua Religião é proteger os interesses da humanidade e promover a unidade, e nutrir o espírito de amor


FÉ BAHÁ´Í


É uma religião mundial, independente, com suas próprias leis e escrituras sagradas, surgida na antiga Pérsia, atual Irã em 1844. A Fé Bahá’í foi fundada por Bahá’u’lláh, título de Mirzá Husayn Ali (1817),


A Fé Bahá'í Ensina




  • A Unidade da Humanidade: "... hoje todos os horizontes do mundo estão iluminados com a luz da unidade... fomos criados para levar avante uma civilização em constante evolução..."
    A livre e independente busca da verdade: "A luz é boa, não importa em que lâmpada brilhe... uma flor é bela, não importa em que jardim floresça..."


  • A eliminação de todas as formas de preconceitos e discriminação: "...somos as folhas e os ramos de uma mesma árvore... as gotas de um único mar..."
    A igualdade de direitos e oportunidades para o homem e a mulher: "A humanidade assemelha-se a um pássaro, uma asa é o homem e a outra, a mulher. O pássaro não pode alçar vôo sem o equilíbrio dessas duas asas..."


  • A harmonia essencial entre a religião, a razão e a ciência: "A verdade é uma só e é indivisível... o progresso da humanidade depende desses fatores..."
    Educação compulsória universal: "O homem é uma mina rica em jóias de inestimável valor, a educação, tão somente, poderá fazê-la revelar seus tesouros..."


  • A revelação divina é progressiva: "Deus é um, a religião é uma, a humanidade é uma... o objetivo da criação humana é conhecer e adorar a Deus... Todas as religiões provêm de um mesmo Deus..."

The Bahá'í Faith is the youngest of the world's independent religions. Its founder, Bahá'u'lláh (1817-1892), is regarded by Bahá'ís as the most recent in the line of Messengers of God that stretches back beyond recorded time and that includes Abraham, Moses, Buddha, Krishna, Zoroaster, Christ and Muhammad.
The central theme of Bahá'u'lláh's message is that humanity is one single race and that the day has come for its unification in one global society. God, Bahá'u'lláh said, has set in motion historical forces that are breaking down traditional barriers of race, class, creed, and nation and that will, in time, give birth to a universal civilization. The principal challenge facing the peoples of the earth is to accept the fact of their oneness and to assist the processes of unification.
One of the purposes of the Bahá'í Faith is to help make this possible. A worldwide community of some five million Bahá'ís, representative of most of the nations, races and cultures on earth, is working to give Bahá'u'lláh's teachings practical effect. Their experience will be a source of encouragement to all who share their vision of humanity as one global family and the earth as one homeland.

Para conhecer mais sobre a Fé bahá í

www.bahai.org.br no Brasil

www.bahai.org - inglês

sábado, 14 de junho de 2008

Familia Staszewski - a ARTE de Viver: Meu ESPOSO!! My Husband!

Familia Staszewski - a ARTE de Viver: Meu ESPOSO!! My Husband!

Meu ESPOSO!! My Husband!



Eu poderia levar horas descrevendo esta figura HUMANA, uma pessoa, bondosa, amiga, e muito atenciosa.
As vezes um pouco estressado quando alguma coisa não está, na verdade ele é perfeccionista, ele pessoa que empenha permanentemente o seu esforço na concretização de obras ou actos perfeitos. Ja lhe disse que isso as vezes não é bom, por que se algo não sai como ele planeja ele sofre muito e a mim doe ver meu esposo preocupado, mas enfim eu me esforçarei para ter com ele toda paciência que precisar.
Meu esposo além de tudo é um homen muito determinado, muito alegre e uma pessoas humilde, isso me faz gostar mais ainda dele, quando ele me conheceu ele perguntou-me o que eu procurava em alguem eu lhe disse humildade, e assim ele é, uma pessoas que tem muito boas virtudes, e claro como ser humano tem tambem tem seus pontos fracos. Mas procuro olhar para ele sempre pelas suas boas qualidades já que cobrem qualquer outro que não seja bom.
Boyd é o tipo de pessoa que todos gostam de estar em sua presença por ele ser muito agradável claro que nos momentos de crise dele, eu prefiro deixá-lo sozinho. Quando nos casamos fizemos muitos planos, e um deles foi ter nosso bebe, que agora estar a caminho, com o bebe a caminho Boyd ficou muito ansioso, ele não sabia o que fazer, eu senti que sua cabeça havia mudado muito, eu o senti com medo, acho que a palavra é esta, medo, sua ansiedade foi passando para mim, e eu tinha que aprender a viver com minha ansiendade pessoal e com ansiedade de Boyd, acho que a noticia de termos um filho assim nesse momento deixou ele com misto de emoções, feliz e ao mesmo tempo com medo. Felizmente a ficha caiu, ele voltou a ser meu Boyd, o homem que eu havia casado.
È engraçado como a noticia de paternidade pode deixar um homem ansioso, e com medo, Boyd sempre teve uma vida muito prática morou muito tempo sozinho e algumas coisas tinhamos que aprender juntos, graças a Deus somos bahá´ís e os ensinamentos bahais, as palavras de Bahá´ú´lláh, e conselhos de Abdul-bahá, estão sendo nosso guia diário. Termino este texto reafirmando minha admiração por esta pessoa maravilhosa, e que por graça Divina é meu esposo!
Meu esposo Te amo!!!!!!! I love you!!!!!!!!!!
Olha o que a Titia Marcia fez para mim!!!!!!!! estou com 3 meses.
Sem Palavras!!!!!!!

Estados Unidos x Brasil - Lições Aprendidas

Estamos, quer dizer eu estou aqui a 3 meses, por que meu esposo ja vivia. Durante este curto tempo, eu tenho aprendidos muito na verdade eu tenho aprendido o que normalmente levaria ano.
Quando cheguei aqui minha primeira reação foi, muita ansiedade. Ansiedade por não falar a língua, por não ter trabalho e mais ainda por não ver pessoas, um giro de 380 graus em minha vida, parece louco mais é exatamente isso que aconteceu, nos 2 primeiros dias eu ainda estava com sono, dormia sem parar para pensar onde eu estava, no terceiro dia veio a novidade, conhecer minha nova cidade meu novo lar, mas o frio de gelar a alma consumia todas as minhas forças, e eu permanecia mais tempo dentro de casa, para falar a verdade só depois de um tempo longo tempo mais ou menos 2 semanas eu consegui finalmente sair de casa e andar perto de minha casa para ver o temos, bem temos muitas florestas ao redor, sinto-me um personagem de história dos irmãos Grimm, temos um Igarapé, com águas muito gelada, muita natureza ao perto, e pessoas, ah pessoas tenho andar uns 300 metros até encontrar alguém, e olhe lá se estiverem fora de casa por que as casas estão sempre fachada já que a vida aqui e movida por muito trabalho e raramente se encontra alguém em casa.
Chegar aqui foi muito fácil, do ponto de vista da viagem depois de 10 horas em um avião quem me conhece pode imaginar como me senti, por que eu sou do tipo de pessoas que não esquenta lugar, eu dizia ao Boyd, amor to cansada, ele dizia você e mais todas as pessoas daqui do avião, e eu dizia mas eu mais não vejo ninguém reclamar, as crianças caladas, parece mentira mas até as crianças estavam caladas, mas eu inquieta.
levantava, andava e Boyd dormia, até que resolvi sentar e tentar dormi um pouco. Quando desci do avião, meu Deus parecia entrar em uma geladeira, eu me tremia de tanto frio, logo pensei aqui não é meu lugar.
Meu esposo estava tão ansioso, queria levar-me para conhecer seus amigos ele parecia uma criança tão feliz, ah se ele soubesse o que vinha pela frente. Mas enfim meu esposo parecia uma criança queria mostrar seu presente, eu claro.
todas essa euforia durou uma semana, por que eu não conseguia mais sair de casa de tanto frio, ficava o tempo todo deitada, foi um choque para ele, quem me conheceu muito ativa, no Brasil não parava, e aqui por mais que eu me esforçasse não podia agir, o frio me paralisava, me sentia sem forças, sem disposição, ele não entendia e isso o fazia sofrer, me fazia sofrer, já não sabia quem era eu, nem o que podia fazer, me sentia tão inútil, sem referencial, sem energia e queria retornar ao Brasil tudo aqui não era bom e para completar descobrimos que eu estava gravida de 5 semanas, parte da minha indisposição se dava por isso, mas como a vida aqui é tão prática percebi que as pessoas não se dão este direito de se sentir indefesa, para meu esposo era novidade, as mulheres aqui são tão fortes, ativas, e eu não era igual. Ele precisou viajar e para que eu não ficasse sozinha minha sogra se ofereceu a cuidar de mim em sua ausência, eu fiquei muito feliz finalmente ia conhecer minha sogra, passados alguns dias ele chegou, uma mulher muito disposta, ativa e com muita energia, sua intenção além de ficar comigo era ensinar inglês para mim, finalmente Boyd viaja, e ficamos so nós duas em casa, todos os dias sentavamos para estudar, minha sogra sendo uma pessoa muito ativa logo encontrou algo para fazer no jardim, ela cortava as arvores que estavam grandes, plantava e outras coisas, eu não conseguia colocar o pé fora, quando tinha um sol eu aproveitava para sentar no sol e sentir um pouco de calor. Os dias foram passando e meus enjoos so aumentavam, minha sogra todos os dias queria fazer exercicios comigo, queria sair caminhar, mas o vento era tão frio que as vezes que eu conseguia sair voltava com fortes dores na cabeça, não queria decepcionar minha sogra, mas a situação já não era mais agradavel para mim, por um tempo eu deixei ela tomar todas decisões por mim, eu não tinha nem poder de decisão de tão debilitada estava, acho que a palavra é esta debilitada, não tinhas forças, disposição, não conseguia mais estar dentro de casa e não conseguia sair, minha casa e tudo nela era ruim para mim, eu não conseguia comer, tudo que comia ia para fora, a comida não tinha gosto, eu chorava a noite sozinha queria voltar, queria a Mamãe, queria a Dima, queria minha vida de volta, a intolerância já era visível em minha sogra e meu esposo, eles não podia compreender como eu me sentia, parte entendo por que da mesma forma que eu me sentia ansiosa, eles também por que queriam me ver bem, feliz, mas eu não estava feliz, meu esposo perguntava-me onde está a Conceição, nem eu sabia, eu tinha deixado ela muito longe, e agora outra estava me meu lugar, eu pensava me Manaus dia e noite nos meus amigos, não saia do computador na esperança e encontrar alguém para conversar e falar, falar, falar, eu me sentia muito sozinha, muito indefesa, a Internet era minha companhia dia e noite, minha felicidade por estar grávida já se misturava com minhas angustia, meu esposo e sua mãe não podia compreender, e as vezes mostrava-se intolerantes comigo. Gostava de sair e encontrar pessoas que havia passado pelo estava passando assim me sentia compreendida, mas meu coração doía muito, doía por que via que meu esposo não estava feliz, e eu não estava feliz , sonhava com o dia que Boyd dissesse vamos retornar ao Brasil.
Mas isso não ia acontecer, eu precisava levantar, mas como eu tinha apenas 2 meses aqui, compreendia que minha vida era aqui agora, minha familia estava aqui, por mais que eu amasse meu Brasil as pessoas de lá, minha vida era aqui agora, mas compreender nem sempre significa aceitar, eu não aceitava isso para mim, as circunstâncias que me trouxeram para cá, foi diferentes de outros que vinheram com o sonho de encontrar aqui sua estabilidade financeira, sei que essas pessoas sofreram também mas elas tinha um objetivo que ao ser ver era muito precioso, mas eu não eu vi opr casei, vi para ficar com meu esposo, a pesar de ser um motivo nobre, eu não podia aceitar tais dores, tais sofrimentos.
Até que um dia eu resolvi levantar e procurar ajuda para mim, primeiros as oraçoes, fazia muitas orações e questionava a Deus por que eu estava aqui, minha vida no Brasil com as atividades bahais era tão ativa e aqui não tinha vida comunitária, por mais que as pessoas me acolheram e ficava feliz com minha presença, mas eu sentia falta da pessoas que eu era no Brasil, alegre, sempre inventando algo para tornar as atividades mais alegres, meus amigos oh como eu sentia saudades deles, mas enfim minha vida era outra, durante as oraçoes eu chorava e questionava a Deus, por que o que tenho que fazer aqui? Por mais que eu entendesse que na vida os acontecimentos não são por acaso eu não conseguia resposta para minhas perguntas, mas quando passei a observar melhor as coisas eu percebi que todas as vezes que eu perguntava Deus me respondia, quando eu percebi e aceitei suas resposta, que algumas vezes foram tão claras., tão óbvias e tão imediatas, que eu ficava assustada, eu compreendi que Deus realmente tem um propósito para mim aqui, Ele não ia enviar sua filha para uma terra distante e desconhecida sem ter nenhum propósito, hoje sei o que devo fazer, descobri minha missão, estou mais feliz, mais conformada e estou me redescobrindo, percebendo onde eu estava, estava sempre perto de mim mesma, mas minha visão estava tão fechada que não me permitia ver meu próprio EU. Percebi que a Conceição estava aqui o tempo todo, talvez sem querer eu estava me tornando outra pessoa por estar em terras desconhecidas, mas não precisamos ser outra pessoas, só precisamos nos renovar, mas sem perder a originalidade, sempre perder nossa personalidade, agora estou voltando, já posso sentir meu filho, já posso sentir a amizade das pessoas, minha resistência com inglês está acabando dentro de apenas um mês aprendi o suficiente para não perder nos locais, já posso me comunicar com meus novos amigos, já sinto seus carinhos seus esforços em entender-me, em ajudar-me, já aprendi com outras amigas brasileiras a ter paciência comigo, esperar meu tempo e hoje estou compreendendo o valor da paciência, e mais ainda, compreendo que para ser feliz não é necessário que estejamos apenas em nosso habitat natural, compreendo que somos seres mutavéis e adaptavéis, decidir ser feliz aqui, decidir ser eu, e mais ainda aceitei que esse é meu lar, esta e minha família.
Mas quero dizer que sou uma pessoa tipicamente brasileira, não deixei minhas raízes e minha casa como diz meu esposo é uma casa brasileira, é meu pedaço de Brasil, quando estou caindo na armadilha da saudades eu ligo meu rádio coloco um CD e dança até ficar muito cansada, e depois retorno as minhas atividades diárias, ainda não trabalho mas não estou mais ansiosa, meu filho irá preencher o espaço que seria para meu trabalho. E depois então com a Graça de Deus eu poderei seguir com trabalhos, mas minha cabeça voltou a funcionar, tenho novos planos, novas idéias.
Aprendi valiosas lições, o engraçado foi que ao sair do Brasil algumas pessoas me disseram para não ter contato com brasileiros, eu fiz exatamente ao contrário, eu conheci muitas brasileiros e deste mesmo estou recebendo muito apoio, e fiz amigos maravilhosos, americanos também, o fato de falar com brasileiros não está atrapalhando meu inglês por que percebi que na vida tudo é decisão, continuo vendo programas brasileiros, até novelas que no Brasil eu não parava ver, hoje estou vendo. Assim é a vida, somos seres capazes de suportar as mais severas mudanças, mas precisamos ser pacientes, eu ainda não aprendi a viver no frio mas não irei me preocupar com isso agora senão não aproveito o verão, o calor que aqui está fazendo aos americanos me perdoe, mas o calor para mim e essencial.

sexta-feira, 13 de junho de 2008

."há coisa que nunca voltam atrás: a flecha lançada,a palavra pronunciada e a oportunidade perdida"

Amor!!!


If I speak in human and angelic tongues but do not have love, I am a resounding gong or a clashing cymbal.

And if I have the gift of prophecy and comprehend all mysteries and all knowledge; if I have all faith so as to move mountains but do not have love, I am nothing.

If I give away everything I own, and if I hand my body over so that I may boast but do not have love, I gain nothing.

Love is patient, love is kind. It is not jealous, (love) is not pompous, it is not inflated,

it is not rude, it does not seek its own interests, it is not quick-tempered, it does not brood over injury,

it does not rejoice over wrongdoing but rejoices with the truth.

It bears all things, believes all things, hopes all things, endures all things.

Love never fails. If there are prophecies, they will be brought to nothing; if tongues, they will cease; if knowledge, it will be brought to nothing.

For we know partially and we prophesy partially,

but when the perfect comes, the partial will pass away.

When I was a child, I used to talk as a child, think as a child, reason as a child; when I became a man, I put aside childish things.

At present we see indistinctly, as in a mirror, but then face to face. At present I know partially; then I shall know fully, as I am fully known.

So faith, hope, love remain, these three; but the greatest of these is love.

"Seja você mesmo, não seja sempre o mesmo"

Esta frase eu vi no CD do Gabriel pensador, achei muito interessante e penso nela sempre, quando lembro que como seres humanos estamos em constantes mudanças e permanecer o mesmo é como ficar parado no tempo.
Compreendemos que estamos nesse mundo com um único propósito, evoluir espiritualmente e assim cumprir nosso destino, tornarmos-nos seres humanos, podemos dizer estou me tornando um ser humano, trabalho para isso.
Para evoluir do estado atual de tumulto e conflito pelo o qual o mundo esta passando hoje, é necessário tanto que as instituições sociais assim como os seres humanos que ela constituem submeterem-se a uma transformação radical.
Qualquer indivíduo que esteja interessado em promover a paz mundial terá que despertar o interesse em como poderá transformar o mundo do atual estagio para o seguinte que indiscutivelmente será a paz mundial.
O mundo está passando por fortes dores, que chamamos de "dores do parto", ele esta saindo do processo de" desintegração e entrando no processo de integração" são processos gêmeos.
Nossa convicção que este estágio é apenas transitório é que acreditamos nas palavras de Bahá´u´lláh, quando Ele diz que a PAZ MUNDIAL NÃO É SOMENTE POSSÍVEL MAS INEVITÁVEL, é um processo natural que claro com nosso esforço será realizado com maior rapidez.
Através do ensinamentos bahá´ís temos divulgados no mundo os princípios e os ensinamentos que irão promover tal transformação no individuo e no mundo.
Bahá´u´lláh nos dar todas as ferramentas necessárias para essa transformação, nos tornando capacitados a transformar nosso verdadeiro eu e libertar nosso potencial como ser humano. Porém o interesse em como liberta seu potencial e algo muito pessoal, não aprendemos nas escolas mas através de uma educação especial, sabemos que como seres humanos precisamos desenvolver todos nosso potencial obter conhecimentos dos vários ramos das ciências como complemento para a vida e para transformação.
Mas através de uma educação espiritual podemos atingir nossa meta maior.
Li em uma revista seleções de 1993, a história de uma jovem que perto de concluir seus estudos secundário recebeu do professor um presente especial, ao entregar o presente a todos o professor disse-lhes " Na caixinha de cada um de vocês está um belorque ou pregador de gravatas decorado com uma peróla de cultura. Essas perólas representa os seus potenciais... O mundo é a ostra de vocês, tal como uma pedrinha colocada no interior de uma ostra pode crescer até se transformar numa peróla valiosíssima, todos vocês tem dentro uma semente de grandeza". precisamos acreditar no potencial de cada ser humano, que potencialmente cada pessoa carrega dentro de sim uma jóia, as escrituras bahá´is afirmam que o ser humano é como uma mina rica em jóias de inestimável valor, e somente a educação poderá fazer revelar seus tesouros, não importa de quem estamos falando nem quanto anos tem, o mais importante é conhecer, saber que cada um de nós possuem em potencial jóias de valor inestimáveis, e assim podermos apreender a desenvolver cada uma de nossas potencialidades e assim viver o maior propóstio da vida do homem, SERVIR A HUMANIDADE, E TRABALHAR PELA PAZ E FRATERNIDADE UNIVERSAL.

Serviço a Humanidade




É homem, verdadeiramente, quem hoje se dedica ao serviço da humanidade inteira. Diz o Grande Ser: Bemaventurado e feliz é aquele que se levanta para promover os melhores interesses dos povos e raças da terra. Em outra passagem Ele proclamou: Que não se vanglorie quem ama seu próprio país, mas sim, quem ama o mundo inteiro. A terra é apenas um país, e o gênero humano, seus cidadãos.
Epístolas de Bahá'u'lláh.

Confiança em Deus!!!


" Jamais percas a confiança em Deus. Que teu coração esteja sempre repleto de esperança, visto que as graças Divinas jamais cessam de manar sobre o homem."

Começei com esta citação das Escrituras Bahá´ís, por que nesse espaço quero que Deus ajude-me a de alguma forma ajudar alguem que em algum momento possa ter sentindo que em seu coração algum traco de tristeza. Devemos levar  sempre em nossos coracoes a certeza de que os acontecimentos tem seus propósitos e cada um trás consigo uma graça. Que as bençãos de Deus são como uma fonte que continuamente jorram suas águas vivificadoras sempre sobre cada ser humano.